Setembro Amarelo e a Importância da Valorização da Vida

10 de setembro de 2020

Setembro começou e, com ele, um movimento nas redes sociais também. Você, com certeza, já viu a expressão “setembro amarelo”, não é mesmo? Ela faz parte de uma importante campanha que tem como foco a prevenção e conscientização sobre o suicídio e a depressão.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos acontece um suicídio no mundo. A maior incidência está na população mais jovem, com faixa etária entre 15 e 29 anos. No Brasil, os dados também são alarmantes. Por aqui estima-se que 32 brasileiros tiram suas vidas todos os dias.

Mas, o que fazer para melhorar esse cenário? A necessidade de políticas públicas e de campanhas como o setembro amarelo são ótimos exemplos de estratégias para evitar que esse problema seja agravado. É sobre isso que abordaremos no nosso post de hoje. Continue lendo!

INÍCIO DO SETEMBRO AMARELO

A campanha do setembro amarelo começou há 5 anos pelo Centro de Valorização da Vida, pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Em todo o mundo são realizadas campanhas para lembrar a importância do dia 10 de setembro, instituído o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

Durante todo o mês, as campanhas estimulam o diálogo como uma forma de prevenir o suicídio, também são feitas diversas discussões relacionadas ao problema.

A saúde mental é tão importante quanto a saúde física. Pensamentos negativos e outros transtornos podem estar ligados ao suicídio, por isso fique atento aos sinais.

Mulher chorando com as mãos no rosto

SINAIS DE QUE UMA PESSOA PODE ESTAR PENSANDO EM SUICÍDIO

Angústia, tristeza profunda, falta de vontade de viver são alguns dos sintomas que indicam que uma pessoa precisa de ajuda. Além disso, outros sintomas também estão relacionados, são eles:
• Dificuldade de se relacionar com entes queridos, ter timidez em excesso.
• Apresentar algum transtorno mental como ansiedade, bipolaridade, esquizofrenia, etc.
• Ter mudanças repentinas no sono e no apetite.
• Sentir-se angustiado, sozinho e sem esperança.
• Relacionar-se socialmente de um modo conturbado.
• Ter humor instável ou personalidade agressiva.

Se você conhece algum familiar ou amigo que apresenta esses sintomas e percebe que ele precisa de ajuda, não hesite. Existem algumas atitudes que você pode adotar e que farão toda a diferença no momento de lidar com aquela pessoa. Algumas delas são:
• Tenha empatia pelo que o outro está passando, se mostre amigável e ouça o que ele tem a dizer.
• Seja paciente, mostre interesse e afeto pelo caso.
• Procure conversar com amigos e familiares para informar sobre a situação e entender de que forma vocês podem ajudar.
• Tente entender os sentimentos da outra pessoa e nunca demonstre frieza e dê pouca importância ao que ela está sentindo.

A maioria das mortes por suicídio seriam evitadas se houvesse mais diálogo. Por isso, se você apresenta um dos sintomas citados acima ou conhece alguém que possui, procure ajuda imediatamente. Com apoio e compreensão, a situação pode ser revertida.

Gostou do nosso post? Então, compartilhe ele nas suas redes sociais e não esqueça de acompanhar o Facebook e Instagram da Play Park.

Imagem: Pexels