Mês da mulher: a conquista dos direitos e os desafios atuais

18 de março de 2021

Em 8 de março celebramos o Dia Internacional das Mulheres. Durante esse mês, presenciamos a movimentação de diversos setores da sociedade na tentativa de conscientizar sobre a importância da data.

No blog da Play, você vai conhecer um pouco sobre a história e o motivo que fez o mês de março ser escolhido para comemorar a data. Acompanhe!

O INÍCIO

Há muito tempo, tem-se a ideia de que o dia 8 de março passou a ser considerado o Dia da Mulher por conta do incêndio em um fábrica têxtil em 25 de março de 1911, nos Estados Unidos. Na ocasião, mais de 130 operárias morreram carbonizadas. O incidente marcou a luta feminina por direitos, mas os eventos que levaram a criação do Dia da Mulher são anteriores àquele período.

Desde o final do século 19, diversas lideranças femininas protestavam na Europa e EUA por melhores condições de trabalho. Para se ter uma ideia, as operárias chegavam a ter jornadas de 15 horas com salários baixíssimos. Outra reinvidicação era o final do trabalho infantil, muito comum na época e herança da Revolução Industrial.

Em 1908, foi celebrado o primeiro Dia Internacional da Mulher nos Estados Unidos, quando mais de mil mulheres aderiram a uma manifestação pela igualdade no país, o evento culminou uma longa greve têxtil que fechou mais de 500 fábricas.

Durante a Primeira Guerra Mundial, surgiram mais protestos, um dos mais marcantes ocorreu no dia 8 de março de 1917, naquele dia 90 mil operárias russas manifestaram contra as péssimas condições do país, a data se tornou histórica e em 1921 foi oficializada como Dia Internacional da Mulher.

Nos anos 60, o movimento feminista ganhou força na reivindicação de direitos, mas apenas em 1977 a Organização Mundial das Nações Unidas, reconheceu oficialmente o 8 de março como Dia Internacional da Mulher.


HISTÓRIA NO BRASIL


Os movimentos em busca de igualdade para as mulheres tiveram início no século 20 com grupos anarquistas. Na década de 1920 e 1930, o movimento de mulheres ganhou força com a conquista do voto feminino no país. Nos anos 70, com a influência da Revolução Sexual, surgiram grupos e organizações com discussões que incluíam igualdade entre os gêneros e sexualidade da mulher.

Os movimentos pela igualdade feminina passaram a manter diálogo com o Estado, ocorreram, desde então, a criação de diversas leis, em 1985 foi instituída a primeira Delegacia Especializada da Mulher.

MULHERES E MERCADO DE TRABALHO


É inegável que tivemos uma grande evolução nos últimos anos, mas o cenário atual ainda é permeado por várias desigualdades. De acordo com o IBGE, em 2010, 49,9% das mulheres estavam empregadas, percentual menor em relação aos homens, que chega a 67,1%.

Ainda temos outras questões que atingem o universo feminino, como a desigualdade nos salários (20,5% menor do que o dos homens). Além disso, também há jornada dupla em que as mulheres, além de se dedicarem ao trabalho fora do lar, também são as maiores responsáveis pelas tarefas domésticas e cuidado dos filhos.

Mesmo com as dificuldades, as mulheres têm importância fundamental no mercado de trabalho, elas são melhores líderes, principalmente, durante a pandemia da Covid-19. Um estudo da Harvard Business Review, comprovou que as mulheres em cargos de liderança mostraram mais eficiência durante a crise sanitária que afetou as empresas, ao apresentarem mais resultados positivos e contribuírem de maneira mais expressiva para o engajamento dos trabalhadores.

A luta por igualdade é histórica e cada vez mais avançaremos para garantir um futuro feminino e igualitário. Que essas questões não sejam lembradas apenas no mês da mulher, mas em todas as outras datas do ano.

Gostou do post? Então compartilhe ele nas suas redes sociais e fique atento às nossas novidades.